FacebooktwittermailFacebooktwittermail
2021-abril-azul-verde

ABRIL AZUL:
MÊS DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE
O TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

Mesmo em tempos em que todas as atenções estão voltadas para o combate da Covid-19, não podemos esquecer de conscientizar a população sobre outras questões presentes na sociedade. Por isso, é importante lembrarmos que estamos no Abril Azul, o mês escolhido para a conscientização sobre o transtorno do espectro autista.

O autismo ou transtorno do espectro autista é uma condição do neurodesenvolvimento caracterizada por atrasos em campos como a fala, a linguagem, dificuldades na interação social e pela presença de comportamentos ou interesses repetitivos.

O autismo atinge uma a cada 54 crianças, com maior incidência entre crianças do sexo masculino. Estima-se que o autismo atinja 4 meninos para cada menina afetada. Ainda não se sabe totalmente o que causa o autismo, mas existem fatores, que, somados, podem facilitar o aparecimento do autismo, tais como a predisposição genética e fatores ambientais que impactam o feto, como infecções, exposição a substâncias tóxicas e outras complicações na gravidez. Segundo o psiquiatra da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da UFCA, Dennysson Teles, o espectro autista varia em graus de intensidade.

Essas graduações vão desde pessoas com intenso grau de comprometimento, e que necessitam de apoio especializado durante a vida, até pessoas com quadros leves, que conseguem trabalhar, estudar e se socializar. O autismo é uma condição que se carrega desde o nascimento. Geralmente, os primeiros sintomas começam a se tornar evidentes em torno do segundo ano de vida, com dificuldades de olhar nos olhos, atraso na fala, pouco interesse por outras pessoas e movimentos repetitivos e estereotipados.

Quadros leves podem receber diagnóstico tardio ou mesmo passar despercebidos durante toda a vida. O tratamento, necessário especialmente para casos mais intensos, é multidisciplinar e é baseado de acordo com o comprometimento de cada caso. Abordagens com fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, médicos e psicólogos podem ser necessárias e de forma intensiva, se for o caso.

Alguns subtipos leves podem necessitar apenas de abordagem educacional com psicopedagogos. Ou seja, o tratamento é individualizado. UFCA contribui para permanência de estudantes com síndrome do autismo Na Universidade Federal do Cariri (UFCA), a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) tem atuado no sentido de contribuir para a permanência dos estudantes com síndrome do autismo na universidade, oferecendo atenção às demandas de vulnerabilidade socioeconômica, necessidades educacionais e psicossociais.

Segundo Virgínia Mendes, psicóloga da Prae, a UFCA, através de uma equipe de pedagogos, psicólogos, psiquiatra e assistentes sociais, busca promover o acolhimento, a adaptação, a participação e o protagonismo de estudantes com autismo no processo de desenvolvimento pessoal e acadêmico deles. Para conhecer mais sobre o tema, há uma série de filmes que abordam o especto do autismo: Temple Grandin (2010); O contador (2016); Rain Man (1988) e Meu nome é Rádio(2003). Serviço Divisão de Atenção à Qualidade de Vida do Estudante da Prae saude.prae@ufca.edu.br Transparência ativa Portal da transparência UFCA Sustentável Painéis da UFCA Carta de serviços ao cidadão Avaliação Institucional da UFCA Serviços Assuntos Estudantis Gestão de Pessoas Tecnologia da Informação Webmail Licitações Universidade Federal do Cariri Av. Tenente Raimundo Rocha Nº 1639 Bairro Cidade Universitária Juazeiro do Norte – Ceará CEP 63048-080 +55 (88) 3221 9200

Fonte: https://ufca.edu.br

ABRIL VERDE
CAMPANHA VISA À CONSCIENTIZAÇÃO E À PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO

O país inicia, hoje, o mês que carrega o maior desafio contemporâneo da saúde pública brasileira. É em abril que órgãos de saúde e governos estimam colocar em prática parte das preparações de enfrentamento ao novo coronavírus. Em um cenário de transmissão sustentada cada vez mais consolidado, falar de prevenção e saúde do trabalhador é extremamente importante.

Durante o mês de abril, órgãos públicos e instituições engajadas nas questões relativas aos acidentes de trabalho aderem à campanha Abril Verde, uma forma de promover a conscientização sobre a importância da segurança e da saúde do trabalhador brasileiro. O mês de abril foi escolhido porque o dia 28 é dedicado à memória das vítimas de acidentes e de doenças do trabalho.

Iniciativa de participação espontânea que chama a atenção da sociedade brasileira para a adoção de uma cultura permanente de prevenção de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais, o movimento Abril Verde luta para marcar o mês de abril com a cor da segurança no calendário nacional. A intenção é concentrar anualmente nesse período uma série de atividades, dando-lhes mais visibilidade e manifestações de apoio à causa.

Movimentos internacionais como o Outubro Rosa (prevenção do câncer de mama) ou o Novembro Azul (prevenção do câncer de próstata) já são conhecidos da maioria dos brasileiros. No que diz respeito à saúde e segurança do trabalhador, o Abril Verde trilha um caminho semelhante. O objetivo é fazer com que a cultura prevencionista no ambiente de trabalho seja propagada e assimilada pelo maior número possível de pessoas e a ANAMT apoia esta causa.

Fonte: https://www.anamt.org.br/portal/2020/04/01/abril-verde-campanha-visa-a-conscientizacao-e-a-prevencao-de-acidentes-de-trabalho-2/