Inflação de idosos foi maior que índice geral

O IPC-3i (Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade), que mede a variação da cesta de consumo de famílias compostas, em sua maioria, por pessoas com mais de 60 anos, subiu de 0,69%, no terceiro trimestre de 2018, para 0,80%, no último trimestre do ano.

O resultado contribui para a alta acumulada no indicador calculado pela FGV (Fundação Getulio Vargas), de 4,75%, superando o IPC-BR para o mesmo período (4,32%), inflação média percebida pelas famílias com renda mensal entre 1 e 33 salários mínimos.

Comparada ao INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), usado para reajustar os benefícios do INSS com valores acima de um salário mínimo e medido pelo IBGE, a inflação dos idosos também foi maior, já que o indicador nacional de preços ao consumidor, acumulado para 2018, fechou em 3,43%. O IPCA, considerado a inflação oficial do país, encerrou 2018 com alta de 3,75%. (Agora São Paulo)