Previdência terá reforma mais dura com Bolsonaro

A proposta de reforma da Previdência em estudo pela equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro prevê uma regra de transição de 10 a 12 anos, bem mais curta do que os 21 anos previstos na versão do ex-presidente Michel Temer, mesmo após modificações feitas pelo Congresso. A ideia da reforma é estabelecer uma idade mínima para que o trabalhador tenha direito a se aposentar, como forma de atacar as aposentadorias precoces.

Ao longo do período de transição, segundo o texto em elaboração pela equipe técnica, essa faixa etária subiria gradualmente até alcançar os 65 anos para os homens. Para as mulheres, chegou a circular uma versão que equiparava a idade mínima com a do sexo masculino. Mas a tendência é que isso seja alterado e se apresente a Bolsonaro proposta de 63 ou 62 anos para elas.

Caberá a Bolsonaro e ao núcleo político opinar sobre a proposta dos técnicos. A expectativa no governo é que o texto final seja enviado ao Congresso na primeira quinzena de fevereiro. (Agora São Paulo)